Carreira internacional: Como começar e os melhores países

Como começar uma carreira internacional? Quais são os melhores países? Uma carreira internacional é o sonho de muitos brasileiros. Conseguir cidadania europeia ou norte-americana e ter a chance de ascender financeiramente na vida está entre os maiores desejos dos brasileiros.

No conteúdo de hoje, separamos uma pequena lista de países que são considerados os melhores para ter uma carreira internacional. Trabalhar nos Estados Unidos, por exemplo, está na lista. No final, citamos uma dica interessante de como começar uma carreira internacional. Leia conosco e entenda melhor, vamos lá!

5 melhores países para uma carreira internacional

1. Estados Unidos da América, EUA

Os EUA sempre estarão entre os primeiros da lista, graças a sua vasta riqueza familiar média e renda per capita que ultrapassa qualquer outro país no mundo, graças a sua moeda que é considerada como base para qualquer negociação em todo o planeta.

Porém, é de suma importância que você saiba que os EUA é de longe um dos países com maior dificuldade de entrada para quem deseja trabalhar. Isso acontece por causa das políticas de imigração dos Estados Unidos, que são bem rígidas, principalmente para os sul-americanos.

O que você precisa saber:

De forma geral, caso queira trabalhar nos EUA, precisará de:

  • Visto de trabalho: este tem validade de apenas dois anos e pode ser renovado, tendo vários subtipos de acordo com necessidade. Quem tem acesso, geralmente, são trabalhadores estrangeiros que viajam de forma temporária, além de estrangeiros envolvidos com intercâmbio (brasileiros podem se beneficiar deste último método de entrada);
  • Green Card: dispensa comentários. Com um Green Card, você se torna um cidadão norte-americano, tendo direito a tudo que um estadunidense pode usufruir.

2. Austrália

O britânico HSBC, um dos bancos mais antigos do mundo, 6º maior do mundo, realizou uma pesquisa que apontou que ao menos 62% de todos os imigrantes que foram para a Austrália, na Oceania, melhoraram em todos os quesitos de sua vida A taxa de desemprego do país é muito baixa, 5,7%, enquanto a economia cresce há 25 anos, mesmo em tempos de pandemia.

O que você precisa saber:

Assim como nos EUA, existe mais de um tipo de visto:

  • Visto de estudante: você pode ficar entre 12 e 50 semanas na Austrália, além da possibilidade de trabalhar por uma carga horária máxima de 20 horas semanais;
  • Working Holiday Visa: muito desejado pelos mais jovens, permite que você trabalhe de forma legal com uma validade de 1 ano corrido;
  • Vistos de trabalho: por fim, temos este visto destinado a quem deseja se mudar para a Austrália para trabalhar de forma permanente ou então abrir um negócio próprio no país da Oceania.

3. Canadá

Junto a Austrália, foi um dos países que chamou a atenção durante a pandemia pelo autoritarismo dos governos locais. Apesar disso, é um dos melhores países para trabalhar no mundo, com uma economia crescente e população idosa predominante, o que abre portas para imigrantes de todos os lugares do mundo. A educação e saúde do país chamam a atenção.

O que você precisa saber:

Caso queira um visto, não há muitos rodeios: é necessário já possuir um contrato fixo de trabalho, ou então solicitar um, desde que seja qualificado o suficiente para trabalhar no mercado ou setor específico de sua formação, dentro do Canadá.

4. Dinamarca

Em questão de trabalho, a Dinamarca chama a atenção: a carga horária semanal é de 37 horas, sendo que a produtividade é maior do que países como o Brasil que possui carga horária máxima de 40 horas semanais mais duas horas extras possíveis por dia. Além disso, o país fornece anualmente um mês e uma semana adicional de férias aos trabalhadores.

O que você precisa saber:

Caso pretenda se mudar para a Dinamarca à procura de trabalho, saiba que os cidadãos imigrantes precisam de cidadania europeia. Para consegui-la, assim como no exemplo que citaremos da Suíça, é necessário uma cidadania italiana ou alemã, ou então se casar com algum cidadão europeu. Quanto ao visto de turista, não é necessário obtê-lo apenas para visitar o país.

5. Suíça

Um dos países com melhor custo e qualidade de vida de toda a Europa. Índice de criminalidade baixíssimo e um salário anual que beira os US$30.000 por ano. Além disso, a taxa de desemprego é ínfima, visto que apenas 20% das pessoas que possuem idade entre 15 a 64 não possuem emprego remunerado, sendo que boa parte desse público é empreendedor.

O que você precisa saber:

É necessário visto para trabalho, ou então cidadania europeia que pode ser retirada por meio da cidadania alemã ou italiana, sendo essas duas as mais comuns de conseguir quando se mora no Brasil. Além disso, casar-se com alguém europeu o torna automaticamente um cidadão europeu.

Como começar uma carreira internacional?

Agora que já sabe quais são os melhores países do mundo para ter uma carreira, vamos responder a sua pergunta principal: afinal, como começar uma carreira internacional? Sem dúvidas, a melhor forma de fazer isso é realizando um intercâmbio cultural para algum país europeu ou para os EUA.

O intercâmbio é o primeiro passo a ser tomado para quem sonha em ter uma carreira internacional um dia: permite que você estude o inglês e ainda por cima vivencie o cotidiano de trabalho fora do Brasil, podendo garantir maior experiência quando uma oportunidade mais concisa aparecer no futuro. Agora que já sabe como começar uma carreira internacional, faça suas malas e contrate um intercâmbio. Até a próxima!